Home > Chapéu/Calçado > Qualidade > Fabricando um Chapéu de Feltro
Contato

Radar

Confeccionado em couro.

Mais fotos do modelo

Cury Western

Arizona II Confeccionado em pêlo e lã.

Mais fotos do modelo

Radar hat 20x

Copa quadrada

Mais fotos do modelo

Shantung

Mais fotos do modelo

Dallas Juta Social

Mais fotos do modelo

Ramenzoni Cavalgada

Pelo e lã

Mais fotos do modelo

Pralana Yankee Boss II

Mais fotos do modelo

Ramenzoni XXX

100% Pêlo de lebre

Mais fotos do modelo

Pralana "João Carreiro & Capataz"

Exclusivo chapéu da dupla João Carreiro & Capataz, produzido pela Pralana com levíssimo material importado.

Mais fotos do modelo

Chapéu Cangaceiro

Mais fotos do modelo

Fabricando um Chapéu de Feltro PDF Imprimir E-mail
Escrito por Márcio Eiras   
Sex, 27 de Novembro de 2009 10:58

A qualidade e textura do chapéu de feltro acabado varia muito conforme o tipo e categoria da lã usada, do mesmo modo como os de feltro de pêlo variam conforme a mistura dos pêlos dos animais.

Os "noils" (fibras curtas removidas na cardagem) ou fibras próximas ao couro do animal são muito usadas na fabricação do feltro de lã. As fibras longas de lã, conhecidas como "wool tops", são muito usadas na fabricação de materiais têxteis de lã. Porém, a mistura da lã, numa combinação tanto de fibras curtas como longas, é utilizada na fabricação de chapéus de lã para dar liga às fibras curtas e produzir um feltro mais durável.

A lã é lavada e quimicamente tratada para remover resíduos de materiais próprios da lã virgem. Após os procedimentos de mistura, a lã é passada por um processo de cardagem, onde a lã bruta entra na carda em uma de suas extremidades e emerge na outra como um véu fino de lã. Estes frágeis véus de lã são manualmente enrolados em torno dos cones de madeira até que o corpo do chapéu esteja grande e fofo, com cerca de um pé e meio de altura e uma polegada de espessura.

Esta "carapuça", ou cone de lã, passa então para a máquina de assodagem onde tem início os primeiros processos de feltragem. Daí para a frente o processo geralmente se resume em encolhimento, feito com um grau perfeito de controle e exatidão. O encolhimento é feito através de uma máquina multi-cilindro e o número de vezes que o cone é passado por esta máquina determina em grande parte sua solidez, maciez e conseqüente qualidade.

No fulão, martelos gigantes pisam e endurecem o cone até a consistência desejada. Daí inicia-se outras operações: tingimento, refile, enformação e outras várias que acabam levando o chapéu aos processos de acabamento (enfeites, forro, carneira, fita, embalagem).

Última atualização em Ter, 29 de Dezembro de 2009 16:02
 
Copyright © 2018. JR Chapéus e Calçados. Designed by Shape5.com